MENU

Medicamentos genéricos estão 64,35% mais baratos que os de referência

Criados há 24 anos, os genéricos representam atualmente 14,4% do faturamento total do mercado farmacêutico brasileiro
Dos 20 medicamentos mais prescritos no Brasil, 15 são genéricos. Foto: Divulgação/Assessoria.

Os medicamentos genéricos estão 64,35% mais baratos que os de referência nas farmácias de São Paulo. É o que aponta um levantamento feito pelo Procon paulista e, embora não tenha sido divulgada nenhuma pesquisa semelhante no Ceará, acredita-se que os números não destoem tanto. 

Para o presidente da Rede de Farmácias Santa Branca e diretor do Sindicato do Comércio Varejista dos Produtos Farmacêuticos do Estado do Ceará (Sincofarma), Maurício Filizola, o que desperta o interesse da população pelos genéricos é a comprovação de que são eficazes, além de serem mais baratos. 

“Como eles são comprovadamente seguros e mais baratos, acabam atraindo a atenção da população. Por lei, esses medicamentos são obrigados a serem pelo menos 35% mais baratos que os tradicionais”, Filizola destaca.

Criados há 24 anos, os genéricos representam atualmente 14,4% do faturamento total do mercado farmacêutico brasileiro. Eles foram batizados com esse nome porque são vendidos pelo princípio ativo e não pelo nome comercial. 

Maurício defende que são muitos os fatores que podem justificar o aumento no consumo dos genéricos, e cita entre eles o envelhecimento da população, um crescimento das doenças crônicas e a busca por tratamentos acessíveis. 

“É fundamental também destacar o próprio desenvolvimento do setor, com o uso de novas tecnologias que tornam a medicação cada vez mais eficiente, confiável e barata. Ainda tem o programa do Governo Federal Farmácia Popular, no qual 85% dos medicamentos ofertados são genéricos”, afirma. 

Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos e Biossimilares (PróGenéricos), existem 94 laboratórios comercializando o produto no Brasil e, em número de unidades, os medicamentos genéricos relacionados ao sistema cardiovascular foram os mais vendidos entre janeiro e abril deste ano. A entidade destaca ainda que dos 20 medicamentos mais prescritos no Brasil, 15 são genéricos. 

Para exemplificar a diferença de valores, na Rede de Farmácias Santa Branca, um dos contraceptivos orais mais tradicionais, o “Yasmim”, é vendido por R$81,85. O genérico sai por R$ 56,81. “Os genéricos estão salvando a vida de muitos pacientes, que não teriam condições financeiras para arcar com os custos”, conclui Maurício Filizola, que também é diretor da Confederação Nacional do Comércio.

46
Compartilhe:
Mercado
Clima/Tempo
Mais Lidas
Governo do Ceará combate a insegurança alimentar no Estado com o Programa Ceará Sem Fome
Ceará Credi transforma pessoas e a economia por meio de incentivo a pequenos empreendedores
Conheça as 8  fotos mais famosas do mundo e a história por trás de cada uma delas
Mais de 1000 Cozinhas Ceará Sem Fome levam alimento diário a famílias em todo o Estado
A história que você não conhece: a ligação de uma cidade cearense à Independência do Brasil
‘Evidências do Amor’, filme estrelado por Sandy e Fábio Porchat, tem ar de comédia romântica clássica
Prefeitura de Fortaleza é a primeira do Norte e Nordeste no ranking de matrículas na Educação Inclusiva
Teresina não terá aumento da passagem de ônibus, anuncia secretaria
Confira a programação de 13 de Maio, Dia de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza, nesta segunda-feira
Relíquias de Santa Teresinha poderão ser visitadas por Fortaleza a partir desta quinta (25)

Notícias relacionadas:

09_07_2020_teletrabalho-10
Brasil
Senacon pede informações sobre apagão causado pela empresa CrowdStrike
Veja o que fazer se você for afetado pela greve do INSS
Brasil
Veja o que fazer se você for afetado pela greve do INSS
Com mais de 243 mil bolsas, Prouni abre inscrições para o 2º semestre na terça-feira (23)
Brasil
Com mais de 243 mil bolsas, Prouni abre inscrições para o 2º semestre na terça-feira (23)
Silvio Santos é internado com H1N1 em São Paulo e passa por exames
Brasil
Silvio Santos é internado com H1N1 em São Paulo e passa por exames
logo-urbnews-redondo