MENU

Mundial de natação: Carol Santiago e Cecília Araújo conquistam ouro

Com estas conquistas o Brasil chegou ao total de 36 pódios no Mundial de natação paralímpica de Manchester (Inglaterra). São 12 ouros, 10 pratas e 14 bronzes. O País ocupa a quarta colocação do quadro de medalhas
A pernambucana Carol Santiago disputou sua sexta prova em cinco dias de Mundial, subindo ao pódio em todas, no Mundial de natacão paralímpica, em Manchester, Inglaterra (Foto Douglas Magno/CPB
A pernambucana Carol Santiago disputou sua sexta prova em cinco dias de Mundial, subindo ao pódio em todas, no Mundial de natacão paralímpica, em Manchester, Inglaterra (Foto Douglas Magno/CPB

O Brasil conquistou mais duas medalhas de ouro nesta sexta-feira (4), penúltimo dia do Mundial de natação paralímpica de Manchester (Inglaterra). As conquistas vieram com a potiguar Cecília Araújo, da classe S8 (limitação físico-motora), e com a pernambucana Carol Santiago, da classe S12 (baixa visão).

Além dos títulos de Cecília e Carol, o Brasil garantiu duas pratas – com a mineira Patrícia Pereira, nos 50 metros livre da classe S4 (limitação físico-motora), e com o fluminense Daniel Mendes, nos 50 metros livre S6 (limitação físico-motora) – e mais quatro bronzes – com a paraense Lucilene Sousa, nos 100 metros livre S12, com o paulista Gabriel Cristiano, nos 50 metros livre S8, com a gaúcha Susana Schnarndorf, nos 50 metros livre S3 (limitação físico-motora), e com o revezamento misto 4×100 metros medley 34 pontos.

Com estas conquistas o Brasil chegou ao total de 36 pódios no torneio (12 ouros, 10 pratas e 14 bronzes) e ocupa a quarta colocação do quadro de medalhas. A liderança é da Itália, a China está em segundo e a Ucrânia está em terceiro.

O ouro de Cecília foi o segundo conquistado no Reino Unido em um período de 24 horas. Após subir ao lugar mais alto do pódio nos 100 metros livre na última quinta-feira (3) ela se sagrou tricampeã mundial (Cidade do México, Ilha da Madeira e Manchester) nos 50 metros livre da classe S8 com o tempo de 30s03, novo recorde das Américas.

“Faltaram três centésimos para eu chegar à marca de 29 segundos, que é a minha meta. Mas fico feliz porque sei que vou conseguir em breve. Tive algumas falhas na prova. Então, os 29 segundos estão dentro de mim. Esse tempo é real. Sempre queremos mais, mas tenho que agradecer por ter feito o melhor tempo da vida e conquistado mais um título”, disse a potiguar.

Já Carol Santiago disputou sua sexta prova em cinco dias de Mundial, subindo ao pódio em todas. Foram quatro ouros (100 metros livre, costas e borboleta, além dos 50 metros livre), uma prata (100 metros peito) e um bronze (revezamento 4×100 metros medley 49 pontos). A última medalha dourada até aqui veio nos 100 metros livre, com o recorde da competição: 58s87.

“Acordei me sentindo um pouco mais cansada hoje. Confesso que foi mais psicológico do que fisicamente. O programa é muito longo. Mas, à tarde, já estava mais organizada. Comemorei com o Léo [Leonardo Tomasello, técnico], pois fiz bem a primeira metade da prova. Ele me disse que estou no caminho certo e posso nadar ainda melhor nos Jogos Paralímpicos de Paris”, explicou a pernambucana.

Por Agência Brasil – Rio de Janeiro

22
Compartilhe:
Mercado
Clima/Tempo
Mais Lidas
Governo do Ceará combate a insegurança alimentar no Estado com o Programa Ceará Sem Fome
Ceará Credi transforma pessoas e a economia por meio de incentivo a pequenos empreendedores
Mais de 1000 Cozinhas Ceará Sem Fome levam alimento diário a famílias em todo o Estado
A história que você não conhece: a ligação de uma cidade cearense à Independência do Brasil
Prefeitura de Fortaleza é a primeira do Norte e Nordeste no ranking de matrículas na Educação Inclusiva
Conheça as 8  fotos mais famosas do mundo e a história por trás de cada uma delas
Relíquias de Santa Teresinha poderão ser visitadas por Fortaleza a partir desta quinta (25)
Confira os horários das missas nas paróquias de Fortaleza durante a Semana Santa
Confira a programação de 13 de Maio, Dia de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza, nesta segunda-feira
Nova série da Urbnews traz vidas transformadas por ações do Governo do Ceará

Notícias relacionadas:

Design sem nome (16)_Easy-Resize.com_Easy-Resize.com
Com Arena Castelão entre os palcos, Brasil sediará a Copa do Mundo Feminina em 2027
Design sem nome (12)_Easy-Resize.com
Vagner Mancini reclama do campo da Arena Castelão em vitória do Ceará
foto site (52)
CBF suspende duas rodadas do Brasileirão por causa de cheias no RS
foto site (51)
Fortaleza empata com Boca Juniors aos 90 minutos e segue líder do grupo D na Sulamericana
logo-urbnews-redondo