MENU

Sarto e Elmano trocam acusações nas redes sociais após episódio de violência no IJF

Nas redes sociais, o prefeito relacionou o crime às facções criminosas e que “a paralisia do Governo de Estado no combate às facções não parece ser apenas incompetência, mas também cumplicidade”
Autoridades foram até as redes sociais disparar acusações sobre responsabilidade do crime. Foto: Governo do Ceará e Prefeitura de Fortaleza.

O governador do Ceará, Elmano de Freitas (PT), se posicionou sobre o assassinato de um homem que acabou sendo degolado dentro Instituto Doutor José Frota (IJF), na manhã desta terça-feira (23), em Fortaleza. O chefe do Executivo cearense rebateu ainda a postura do prefeito de Fortaleza José Sarto (PDT) em culpar o Estado pela tragédia. 

Nas redes sociais, o prefeito disparou críticas ao Governo Estadual pelo tratamento com as facções criminosas apontando que “a paralisia do Governo de Estado no combate às facções não parece ser apenas incompetência, mas também cumplicidade”. 

VEJA O QUE SE SABE SOBRE O CASO: Polícia afirma que homicídio no IJF pode ter motivo passional; suspeito já foi identificado

Em contrapartida, Elmano atribuiu a postura do gestor como ‘irresponsável e oportunista’. Para o petista, Sarto está “ buscando criar um fato político em cima de uma tragédia, atribui o episódio a ação de facções. E ainda fala, levianamente, de cumplicidade do Estado”. 

“Em respeito aos cearenses, não entrarei nesse jogo de baixaria do prefeito, que não está preocupado em resolver os problemas, mas pensando unicamente na sua reeleição”, respondeu Elmano nas redes. 

Na ofensiva contra o Governo, o prefeito Sarto disse que é inaceitável a violência em Fortaleza continuar do jeito que está. “Hoje mais uma vez vivemos momentos de horror. Dois assassinatos brutais. A paralisia do Governo de Estado no combate às facções não parece ser apenas incompetência, mas também cumplicidade”, escreveu o gestor.

O prefeito de Fortaleza disse ainda que acionou as Secretarias de Segurança Cidadã, Educação, Saúde e Direitos Humanos para dar todo o suporte aos familiares das vítimas e aos nossos trabalhadores, “a quem dedico toda minha solidariedade. Não permitirei que o acesso aos nossos serviços públicos sejam prejudicados pela insegurança”. 

Ainda no perfil das redes sociais, o governador Elmano de Freitas garantiu que usará todas as suas energias para enfrentar o problema da violências “Junto com nossas forças de segurança, que confio. Não irei jamais terceirizar responsabilidades, como faz covardemente o prefeito de Fortaleza, ultrapassando os limites da ética”, finalizou.

Veja o que disse Elmano

Veja o que disse Sarto

77
Compartilhe:
Mercado
Clima/Tempo
Mais Lidas
Governo do Ceará combate a insegurança alimentar no Estado com o Programa Ceará Sem Fome
Ceará Credi transforma pessoas e a economia por meio de incentivo a pequenos empreendedores
Mais de 1000 Cozinhas Ceará Sem Fome levam alimento diário a famílias em todo o Estado
A história que você não conhece: a ligação de uma cidade cearense à Independência do Brasil
Conheça as 8  fotos mais famosas do mundo e a história por trás de cada uma delas
Prefeitura de Fortaleza é a primeira do Norte e Nordeste no ranking de matrículas na Educação Inclusiva
‘Evidências do Amor’, filme estrelado por Sandy e Fábio Porchat, tem ar de comédia romântica clássica
Relíquias de Santa Teresinha poderão ser visitadas por Fortaleza a partir desta quinta (25)
Confira a programação de 13 de Maio, Dia de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza, nesta segunda-feira
Confira os horários das missas nas paróquias de Fortaleza durante a Semana Santa

Notícias relacionadas:

NOTICIAS-6 (12)
Política
Presidente do Solidariedade entrega-se à PF após três dias foragido
juscelino-filho-lula
Política
Ministro de Lula pede ao STF trancamento de inquérito após ser indiciado pela PF
Ao lado de Eunício, Evandro Leitão afirma o MDB vai fazer a gestão comigo
Política
Ao lado de Eunício, Evandro Leitão afirma: “o MDB vai fazer a gestão comigo”
NOTICIAS-6-Site (7)
Política
Janja defende direito ao aborto legal, diz que projeto é 'absurdo' e afirma que Congresso deve garantir acesso no SUS
logo-urbnews-redondo