MENU

Lula diz que a “tendência é vetar” taxação sobre compras online: “muita bugiganga”

Em fala, o líder do Executivo mencionou que essas compras são “bugigangas” e que não sabe se elas “competem com as coisas brasileiras”
A taxação de compras internacionais foi sugerida pela equipe econômica de Fernando Haddad (Fazenda) no ano passado (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que está inclinado a vetar a taxação sobre produtos internacionais de até US$ 50 comprados em lojas online, como Shein e Shopee. Em fala realizada nesta quinta-feira (23), o líder do Executivo mencionou que essas compras são “bugigangas” e que não sabe se elas “competem com as coisas brasileiras”.

“A tendência é vetar, mas a tendência também pode ser negociar”, acrescentou o presidente em conversa com jornalistas no Palácio do Planalto. Lula afirmou que ainda não conversou com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), sobre a decisão, mas que estaria disponível para uma reunião em breve.

A taxação de compras internacionais foi sugerida pela equipe econômica de Fernando Haddad (Fazenda) no ano passado e contou com a resistência, entre outros atores, da primeira-dama, Janja. O tema ainda é motivo de bastante controvérsia no Congresso e, de acordo com o líder do PT na Câmara, José Guimarães (PT-CE), Lula possui maior inclinação ao veto definitivo da medida.

No mesmo encontro desta quinta, Lula argumentou que “nós temos dois tipos de gente que não paga imposto. Você tem as pessoas que viajam, que têm isenção de US$ 500 no free shop, que têm mais isenção de US$ 1.000, que não pagam. Gente de classe média, que tem uns 24 milhões de pessoas, que podem viajar mais uma vez por mês para o exterior. E como é que você vai prever as pessoas pobres, meninas e moças que querem comprar uma bugiganga, um negócio de cabelo, sabe”.

Nesta semana, a loja internacional Shein, uma das empresas que mais teria seus produtos afetados com a taxação, afirmou, em pronunciamento, que a medida coloca “em risco” o poder de compra dos brasileiros.

“Ao isentar os brasileiros do imposto de importação nas compras internacionais de valores até 50 dólares, o De Minimis –instrumento que vem desempenhando um papel crucial na facilitação do comércio internacional e que garante essa isenção– é sobretudo, uma ferramenta no empoderamento do consumidor”, disse em nota divulgada nesta quarta-feira (22).

42
Compartilhe:
Mercado
Clima/Tempo
Mais Lidas
Governo do Ceará combate a insegurança alimentar no Estado com o Programa Ceará Sem Fome
Ceará Credi transforma pessoas e a economia por meio de incentivo a pequenos empreendedores
Mais de 1000 Cozinhas Ceará Sem Fome levam alimento diário a famílias em todo o Estado
A história que você não conhece: a ligação de uma cidade cearense à Independência do Brasil
Conheça as 8  fotos mais famosas do mundo e a história por trás de cada uma delas
Prefeitura de Fortaleza é a primeira do Norte e Nordeste no ranking de matrículas na Educação Inclusiva
‘Evidências do Amor’, filme estrelado por Sandy e Fábio Porchat, tem ar de comédia romântica clássica
Relíquias de Santa Teresinha poderão ser visitadas por Fortaleza a partir desta quinta (25)
Confira a programação de 13 de Maio, Dia de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza, nesta segunda-feira
Confira os horários das missas nas paróquias de Fortaleza durante a Semana Santa

Notícias relacionadas:

image (32) (2)
Mundo
Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT
NOTICIAS-7
Política
Lula diz que não há decisão sobre permanência do ministro das Comunicações
Datena se lança a prefeito de São Paulo pelo PSDB, seu 11º partido
Política
Datena se lança a prefeito de São Paulo pelo PSDB, seu 11º partido
Marco legal para a produção do hidrogênio verde é aprovado em comissão e vai para o Plenário
Política
Marco legal para a produção do hidrogênio verde é aprovado em comissão e vai ao Plenário
logo-urbnews-redondo