MENU

Brasil é ouro com Yeltsin e Jerusa no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Paris

Os atletas Raíssa Machado e Thalita Simplício também subiram ao pódio na capital francesa, que recebe a competição até o dia 17 de julho.
Yeltsin Jacques (à esquerda) com o guia Edelson Avila após vitória no Mundial de Paris. (Foto: Ale Cabral/Comitê Paralímpico Brasileiro)

Vice-líder no quadro de medalhas no Mundial de Atletismo Paralímpico, o Brasil subiu ao pódio mais quatro vezes nesta edição, duas delas com ouro, com direito a quebra de recorde nesta quinta-feira (13), em Paris, na França.

O primeiro a brilhar foi o sul-mato-grossense Yeltsin Jacques, de 31 anos, ao vencer a prova dos 1.500 metros da classe T11 (para atletas com deficiência visual) em 4min03s83, repetindo a performance nos Jogos de Tóquio, quando também foi campeão. 

O meio-fundista brasileiro — que disputou a prova ao lado do guia Edelson Ávila — deixou para trás o japonês Kenia Karasawa (4min08s26) que levou prata, e o polonês Aleksander Kossakowski (4min08s34), bronze. Foi a segunda medalha de Yeltsin nesta edição do Mundial: ele também levou o bronze nos 5.000m.

O dia também foi dourado para a acreana Jerusa Geber dos Santos, em uma das provas mais aguardadas do Mundial: os 100m rasos das classe T11 (atletas cegas). Correndo ao lado do guia Gabriel Garcia, a velocista de 41 anos foi bicampeã ao dominar a prova do início até cruzar a linha de chegada em 11s86, superando o próprio recorde na competição.

Jerusa Geber (à direita) com o guia Gabriel Garcia (Foto: Ale Cabral/Comitê Paralímpico Brasileiro)

A prova desta quinta-feira (13/07) nos 100m teve ainda dobradinha brasileira no pódio: Thalita Simplício (12s37) chegou em terceiro lugar e ficou com o bronze. A velocista potiguar  também levou o ouro na última terça-feira (11/07), nos 400m rasos. 

Quem também comemorou muito ontem foi a baiana Raissa Machado, com a medalha de prata no lançamento de dardo na classe F56 (atletas que competem sentados). Ela atingiu a marca de 23,05m, sendo superada apenas pela letã Diana Krumina (25,81m).

Raissa Rocha Machado, com 23,05m, garantiu a segunda colocação do lançamento de dardo F56 no Mundial de Atletismo de Paris. (Foto: Reprodução/Twitter/@cpboficial)

A delegação brasileira conta com 54 atletas e 11 guias no Mundial de Paris. A competição, primeira da modalidade após a Paralimpíada de Tóquio, termina na próxima segunda (17).

Com informações da Agência Brasil. 

29
Compartilhe:
Mercado
Clima/Tempo
Mais Lidas
Governo do Ceará combate a insegurança alimentar no Estado com o Programa Ceará Sem Fome
Ceará Credi transforma pessoas e a economia por meio de incentivo a pequenos empreendedores
Mais de 1000 Cozinhas Ceará Sem Fome levam alimento diário a famílias em todo o Estado
A história que você não conhece: a ligação de uma cidade cearense à Independência do Brasil
Conheça as 8  fotos mais famosas do mundo e a história por trás de cada uma delas
Prefeitura de Fortaleza é a primeira do Norte e Nordeste no ranking de matrículas na Educação Inclusiva
Relíquias de Santa Teresinha poderão ser visitadas por Fortaleza a partir desta quinta (25)
Confira os horários das missas nas paróquias de Fortaleza durante a Semana Santa
Confira a programação de 13 de Maio, Dia de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza, nesta segunda-feira
Nova série da Urbnews traz vidas transformadas por ações do Governo do Ceará

Notícias relacionadas:

Design sem nome (24)
Fortaleza enfrenta Sportivo Trinidense nesta quarta (29) em busca da classificação 
Design sem nome (20)
Seleção Feminina de Vôlei vence Japão por 3 a 2 e segue invicta na competição
Design sem nome (17)
Floresta e Ferroviário se enfrentam em busca da primeira vitória na Série C 
Fotos (1)
Gol de Ludmilla com passe de Ronaldinho Gaúcho em ‘Futebol Solidário’ gera repercussão
logo-urbnews-redondo