MENU

Cientistas israelenses criam modelo completo de embrião feito em laboratório

A ideia do estudo não é criar novas vidas de laboratório, mas dar à ciência uma maneira de entender melhor as fases embrionárias humanas.
A pesquisa, publicada na revista Nature, é descrita como o primeiro modelo "completo" de embrião, por reproduzir todas as estruturas essenciais que surgem em formas embrionárias. (Imagem: Reprodução/Weizmann Institute of Science)

Cientistas do Instituto Weizmann, em Israel, afirmam terem conseguido produzir uma entidade muito próxima a um embrião humano, sem utilizar espermatozóides, óvulos ou útero. O “modelo de embrião” foi feito utilizando células-tronco.

Segundo a equipe responsável, o resultado é o mais próximo que já se chegou até hoje a um embrião humano, e o modelo de embrião até mesmo liberou hormônios que positivaram um teste de gravidez.

A ideia do estudo não é criar novas vidas de laboratório. O propósito dos modelos de embrião é dar uma forma ética para que a ciência possa pesquisar e entender os momentos iniciais da formação da vida humana. 

Atualmente, a ciência tem pouquíssimo conhecimento sobre como os humanos se desenvolvem nos estágios iniciais, justamente em razão das rígidas leis envolvendo fetos. Assim, o uso dos embriões de laboratório poderia ajudar, por exemplo, a entender as causas por trás de abortos espontâneos e má-formações congênitas.

Como funciona o estudo

A pesquisa, publicada na revista Nature, é descrita como o primeiro modelo “completo” de embrião, por reproduzir todas as estruturas essenciais que surgem em formas embrionárias.

Em vez de espermatozóides e óvulos, foram utilizadas células-tronco, que foram reprogramadas para ganhar o potencial de virar qualquer tipo de tecido no corpo. Elas poderiam se tornar uma entre quatro células-chave do processo embrionário.

Segundo os pesquisadores, cerca de 1% da mistura de mais de 120 dessas células começou o processo de se juntar espontaneamente em uma estrutura que parece muito, mas não é idêntica a um embrião humano.

Os modelos de laboratório foram estimulados a crescer e desenvolver até se compararem a um embrião 14 dias pós-fertilização. Em muitos países, esse é o limite para realizar pesquisa embrionária humana, abaixo disso é impossível de estudar.

A esperança é que esses modelos possam ajudar os cientistas e explicar como diferentes tipos de células surgem, e testemunhar os primeiríssimos passos na formação dos órgãos do corpo, ou até mesmo entender doenças hereditárias e genéticas.

55
Compartilhe:
Mercado
Clima/Tempo
Mais Lidas
Governo do Ceará combate a insegurança alimentar no Estado com o Programa Ceará Sem Fome
Ceará Credi transforma pessoas e a economia por meio de incentivo a pequenos empreendedores
Mais de 1000 Cozinhas Ceará Sem Fome levam alimento diário a famílias em todo o Estado
A história que você não conhece: a ligação de uma cidade cearense à Independência do Brasil
Prefeitura de Fortaleza é a primeira do Norte e Nordeste no ranking de matrículas na Educação Inclusiva
Conheça as 8  fotos mais famosas do mundo e a história por trás de cada uma delas
Relíquias de Santa Teresinha poderão ser visitadas por Fortaleza a partir desta quinta (25)
Confira os horários das missas nas paróquias de Fortaleza durante a Semana Santa
Confira a programação de 13 de Maio, Dia de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza, nesta segunda-feira
Nova série da Urbnews traz vidas transformadas por ações do Governo do Ceará

Notícias relacionadas:

Fotos-2-4
Procurador do Tribunal Internacional pede prisão de Netanyahu e líderes do Hamas
Fotos
Irã confirma morte de Ebrahim Raisi, e vice-presidente é nomeado chefe de Estado interino
foto site berg (32)
Às vésperas de possível extradição, Lula pede liberdade de Assange
foto site berg (29)
Helicóptero do presidente do Irã sofre acidente, diz agência estatal do país
logo-urbnews-redondo